domingo, 2 de agosto de 2009

obstáculos


mananciais no deserto - Lettie Cowmann - 2 de Agosto

Transformei todos os meus montes em caminhos. (Isaías 49.11)

Deus usará todos os obstáculos para cumprimento de Seus propósitos.
Todos nós encontramos morros em nosso caminho.
Sempre há pessoas e coisas que ameaçam estorvar o nosso progresso na vida cristã.

Aquelas exigências pesadas, aquela ocupação que não combina com o nosso temperamento, aquele espinho na carne, aquela cruz de sofrimento diário... pensamos que se essas coisas fossem removidas, poderíamos ter uma vida mais pura, santa; e muitas vezes oramos para que nos sejam retiradas.

"Ó néscios e tardos de coração!"
Essas são as próprias condições para o progresso; foram colocadas em nossa vida para serem os veículos de graça e virtude pelas quais temos orado há tanto tempo.
Por muitos anos, você orou pedindo paciência, mas há algo que prova sua paciência, mais do que pode suportar.
Você tem procurado fugir disso, evadir-se; já considerou insuperável um obstáculo a que alcance o alvo desejado.
Você crê que, se o obstáculo for removido, experimentará imediata libertação e vitória.
Isto não é verdade!
Você só ganharia uma coisa: deixaria de ser tentado à impaciência, mas isto não seria paciência.

A paciência só pode ser obtida através dessas provas que no momento parecem insuportáveis.

Volte atrás; submeta-se.
Tome a sua posição como participante da paciência de Jesus.
Vá ao encontro da provação firmado nEle.
Tudo que em nossa vida nos atormenta e incomoda, pode tornar-se "um servo" nosso para nos ajudar a atingir os mais altos fins.
São as montanhas de Deus.
Ele as pôs ali.
Nós sabemos que Deus não deixará de cumprir a Sua promessa.

"Deus conhece o seu caminho, e sabe o seu lugar. Porque Ele vê tudo o que há debaixo dos céus"; e quando chegarmos ao pé das montanhas encontraremos o caminho. — De Christ in Isaiah (O Cristo em Isaías) de Meyer.
"A provação vem, não só para testar o nosso valor, mas para aumentá-lo; o carvalho não é apenas testado, mas enrijecido pelas tempestades."

Através das provas
Vejo-me vazio,

Sim, que nada sou...

E abrem-se os meus olhos
Para o Suprimento,

Onde encontro tudo:

Tu, meu grande EU SOU!