sábado, 14 de março de 2009

Entrega


"... Desse mesmo a quem obedeceis sois servos..." Rom.6.16
A primeira coisa a fazer quando me identifico com aquele poder que me domina é assumir a desagradável verdade de que sou eu o responsável por ser por ele dominado. Se sou escravo de mim mesmo, a culpa é minha, porque em determinado momento do passado rendi-me a mim próprio. Do mesmo modo, se obedeço a Deus, faço-o por haver-me rendido a ele.
Renda-se ao egoísmo ainda na infância e verificará que é a tirania mais escravizante de toda a terra. Não há poder na alma humana capaz de romper, por si mesmo, o cativeiro de uma disposição dessas, formada pela rendição ao egoísmo e seus ideais. Renda-se por um instante a qualquer espécie de concupiscência (lembre-se de que a concupiscência é: "Eu quero isso agora"), quer se trate da concupiscência da carne ou da mente - e uma vez consumada a sua rendição, ainda que você se odeie a si mesmo por se ter rendido, ter-se-á tornado escravo dela. Não há nenhuma forma de libertação através do poder humano, somente pela redenção. Você tem que render-se em total humilhação ao único que pode romper esse poder dominador, ou seja, ao Senhor Jesus Cristo: "O Senhor me ungiu... para proclamar libertação aos cativos", Is.61:1.
Descobrimos essas coisas da maneira mais ridícula e insignificante: "Oh, eu posso abandonar esse vício quando quiser". Não pode; o hábito domina totalmente porque se rendeu voluntariamente a ele. É fácil cantar "Cristo rompe as cadeias" e ao mesmo tempo estar vivendo na escravidão e cativeiro dum tirano como você é para si mesmo. A rendição a Jesus fará com que sejam rompidas todas essas ataduras e formas de escravidão em qualquer vida.
(Meu melhor para Ele - Oswald Chambers - 14 de março)

Um comentário:

»-(¯`v´¯)-» Vanderléia Silva »-(¯`v´¯)-» disse...

Lindo o texto, ah, tem um selinho pra vc lá!