sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Servir como Rebeca


Tomei como propósito estudar as mulheres que são citadas no poema "Assim compete à mulher cristã", postado dias atrás.. então vou pela ordem..
Ter um pouco de Rebeca, que não se omitiu,mas ofereceu água aos camelos de Abraão.
Ah... a Ana pulou na frente... mas agora prometo seguir na ordem correta. E se demorar o próximo post, é que ainda estou aprendendo com essas maravilhosas boigrafias.
“Nos tempos que as meninas só tinham uma boneca.... eu tinha a minha: Rebeca."
Hoje tenho uma afilhada, com o mesmo nome e linda como uma boneca.
Significado do nome: aquela que une.
Sim, foi um nome que sempre chamou minha atenção. E sua história na Bíblia também é especial.
No poema é destacado o servir dela.
Foi o servir que chamou a atenção do servo de Abraão, Eliézer, quando este foi procurar uma esposa para Isaque.
O meu estudo baseou-se na história bíblica contada a partir de Gênesis 24, alguns estudos em blogs e sites os quais destaco(na íntegra), junto com seus autores:

1 - Ministério Internacional da Restauração:
Rebeca possuía várias qualidades, mas vamos especificar três:
a) Disposição de servir
Existe mulher que não tem disposição para servir. Mas Rebeca não era assim, era uma mulher disposta a servir. Eliezer pediu um sinal a Deus que a mulher que desse de beber aos 10 camelos fosse a que o Senhor tivesse separado para Isaque.

Quando Rebeca apareceu e disse que daria água aos camelos, Eliezer não teve dúvidas de que ela era a pérola para Isaque. O poço tinha 50 metros de profundidade, não era fácil para uma moça dar de beber a 10 camelos. Mas Rebeca não era preguiçosa, era ativa.
Dizem os estudiosos que um camelo tem cinco estômagos. Cada camelo toma 50 litros de água e Rebeca tirou 500 litros de água para dar de beber aos camelos. O teste de Eliezer era para saber se a mulher era preguiçosa ou não, pois se fosse mulher preguiçosa não servia para casar com Isaque.
Mulher preguiçosa é um tormento na vida de qualquer marido. A Bíblia abomina os preguiçosos, independente de ser mulher ou homem. Somos advertidos a aprender com a formiga sobre como trabalhar sem preguiça.
A Bíblia diz que a mulher sábia constrói a casa e a tola com as próprias mãos a destrói. Também diz que a mulher de valor levanta de madrugada, como a mulher de Provérbios 31 que trabalha e ainda dá ordens para todas as suas servas.

b) Disposição de trabalhar com objetivo
Rebeca trabalhava não apenas para si mesma, mas também para as pessoas. Ela deu de beber ao rebanho de Eliezer, mas ao rebanho dela também. Ela trabalhou de forma exaustiva, o que representa que não havia obstáculos para ela.
Aprendemos com essa mulher valorosa que, como filhos de Deus, não devemos nos relacionar, principalmente para casar, com pessoas que colocam barreiras para trabalhar e para servir, que não são dispostas a trabalhar com objetivos, que amam mais a cama do que o trabalho. A Bíblia é clara: só prospera quem trabalha.

c) Disposição para ouvir a voz de Deus
Quem orou foi Eliezer, mas a resposta era Rebeca. Você pode ser a resposta da oração de alguém. A Bíblia diz que o encontro de Isaque e Rebeca se deu após um momento de meditação no campo, de oração. Isaque era um homem de oração. Ele buscava a Deus para saber quem era a resposta correta para ser sua mulher. E veio Rebeca.
Deus dará a você um cônjuge que tenha disposição para servir, para trabalhar com objetivo e que saiba ouvir a voz de Deus. Você será a resposta de Deus para alguém, se ainda não é casado. Se já tiver constituído família, o Pai, que o ama, irá ajudá-lo a ter um casamento ajustado. Seja disposto e Deus o honrará.

2 - Pr. Robson Ramos Coelho:
Será que estamos dispostos a dar água aos camelos para que se cumpra a vontade de Deus em nossa vida?
Estamos dispostos a tirar água dos poços para dar de beber a camelos antes de saciar a nossa própria sede?
Quantas vezes foram necessárias ir e vir até o poço para tirar água?
v. 19. E, acabando ela de lhe dar de beber, disse: Tirarei, também, água para os teus camelos, até que acabem de beber.
“até que acabem de beber”

Curiosidade: Um camelo pode beber até 120 litros de água em dez minutos.
Vamos acreditar que tivessem com pouca sede, e bebessem 30 litros cada um, ao todo seriam 300 litros de água no mínimo, uma quantia bem significativa, levando em conta que ela não conhecia aquele homem, e não tinha nenhuma obrigação de lhe dar água e nem tão pouco dar de beber aos seus camelos que ao todo eram dez.

v. 10E o servo tomou dez camelos, dos camelos do seu senhor, e partiu, pois que toda a fazenda do seu senhor estava na sua mão, e levantou-se e partiu para Mesopotâmia, para a cidade de Nacor.
O que podemos ver neste texto é que Rebeca estava disposta a servir mesmo sem ganhar alguma coisa em troca.
Rebeca fazia parte de um plano de conquista, mas não fazia idéia disso, estava diretamente envolvida numa trama de abençoar e ser abençoada, mas não fazia a menor idéia disso.

Eliezer orou a Deus:
14 Seja, pois, que a donzela, a quem eu disser: Abaixa agora o teu cântaro para que eu beba; e ela disser: Bebe, e, também, darei de beber aos teus camelos; esta seja a quem designaste ao teu servo Isaac, e que eu conheça, nisso, que fizeste beneficência ao meu senhor.
Muitas vezes queremos saber por que estamos fazendo isso ou aquilo;
Pra quê se importar com outros?
O que eu ganho por te abençoar ou te servir?
Rebeca fez, isso é o que realmente importa, serviu, sem sequer tomar conhecimento dos presentes que receberia, e também o motivo que trouxe aquele homem a aquele lugar.

O dote entregue
22. E aconteceu que, acabando os camelos de beber, tomou o varão um pendente de ouro, de meio siclo de peso, e duas pulseiras para as suas mãos, do peso de dez siclos de ouro;
Tenho escutado algumas lamúrias, pra quê fazer tanta coisa à pessoas que nem dão valor?
O que estou ganhando estando na madrugada clamando por esta e aquela família, pra que se preparar tanto numa mensagem para este ou aquele irmãozinho nem sequer dar o ar da graça na reunião para ouvi-la?
A resposta é: fazemos parte de um grande plano de conquista, se Rebeca não fizesse tudo o que ela fez, não receberia os presentes, não mudaria de vida, não conheceria seu esposo, não seria agraciada com uma grande história.

14. Seja, pois, que a donzela, a quem eu disser: Abaixa agora o teu cântaro para que eu beba; e ela disser: Bebe, e, também, darei de beber aos teus camelos; esta seja a quem designaste ao teu servo Isaac, e que eu conheça, nisso, que fizeste beneficência ao meu senhor.
E você está disposto a servir sem ter promessa de algum retorno, sem nenhuma garantia de sequer um muito obrigado?
Esteja disposto a servir.
Somos chamados para servir.
I Timóteo 6:2 E os que têm senhores crentes não os desprezem, por serem irmãos; antes os sirvam melhor, porque eles, que participam do benefício, são crentes e amados. Isto ensina e exorta.
Romanos 6:19 (Falo como homem, pela fraqueza da vossa carne). Pois que, assim como apresentastes os vossos membros, para servirem à imundícia, e à maldade para maldade, assim apresentai agora os vossos membros, para servirem à justiça, para santificação.



Seguindo a história em Gênesis podemos acompanhar a vida de Rebeca.
Com certeza não foi fácil.
Sair da terra dos seus pais.
Encontrar-se com um noivo que nunca vira.
Casar e o sonho de encher seu lar de filhos.
Opa!!! Mais uma estéril. Mais uma história de milagres. Mais uma vez Deus mostrando seu poder. Isaque orou por sua esposa. (uma pequena diferença da história de Ana...)Gênesis 25:21 – O Senhor ouviu suas orações.
Nos próximos versículos somos apresentados a gêmeos, bem diferentes um do outro e cada um com seu protetor. Rebeca amava Jacó. Isaque amava Esaú.
E a partir daqui vemos aquela Rebeca que servia, que chamou tanto a atenção do servo Eliézer, tramando com seu filho amado por uma benção. Gn 27.
Primeiro ela ouve a conversa, talvez por trás da porta... não sei se tinham portas na época...
Chama seu filho predileto, arquiteta um plano, executa o plano e diz assumir a culpa caso algo dê errado.
Quando tudo é descoberto e seu amado Jacó corre risco de vida, trama mais uma vez e convence Isaque a mandar Jacó para outro lugar com a desculpa de arranjar uma esposa de uma “linhagem melhor”.
Porque tudo isso? Por que enganar? Logo Rebeca....quando estava grávida ela percebeu a luta que acontecia em seu ventre e nessa ocasião recebeu uma promessa de Deus: O maior servirá o Menor. Por que não aguardar, esperar confiantemente no Senhor?Você conhece alguém assim?


3 - João Cruzué

Esaú cresceu e não tinha temor de Deus. E eis as provas: ele conhecia muito bem a história do casamento dos pais, no entanto, para desgosto deles, amasiou-se com duas mulheres ao mesmo tempo. E elas foram causa de amargura de espírito para Isaque e Rebeca. Esaú dava tão pouco valor ás coisas de Deus que certa vez aceitou negociar os direitos de sua primogenitura, as bênçãos de Deus, em troca de um prato de lentilha por causa de algumas horas de fome. Na sua hierarquia de valores Deus estava mesmo em último lugar.

Jacó, o irmão mais caçula, era diferente. Foi ele que propôs o negócio do prato de lentilhas em troca dos direitos da primogenitura: ele tinha interesse nas coisas de Deus. Acreditava nelas. Jacó esperou cerca de 70 anos para se casar. Não se prostituiu nem se amasiou. Jacó não vacilava. Até o dia em que fora avisado que a bênção da primogenitura iria mesmo para o irmão Esaú. O Esaú profano, incrédulo e mulherengo. Diante da injustiça ficou com um coração perturbado. Ao conselho da mãe, esqueceu-se, de que Deus estava no controle e agiu precipitadamente. Disfarçou-se e mentiu pelo menos três vezes.

Por que Rebeca instruiu o filho mais novo a se disfarçar, enganar e usurpar a primogenitura de Esaú? A Bíblia diz que Isaque perdera a capacidade de enxergar. E sua cegueira não era apenas física - ele sabia das atitudes ímpias de Esaú mas fingia que não estava vendo nada. Não há uma linha sequer na Bíblia que registre qualquer repreensão de Isaque contra Esaú. Isaque amava Esaú pelas afinidades com a caça. Esaú era o filhinho do papai. Já Rebeca amava Jacó. Guardava em seu coração a profecia que Deus lhe dissera quando estava grávida: "Que o maior servirá o MENOR".

Era um lar dividido. Os pais e os filhos pensavam e julgavam coisas de maneiras diferentes. Rebeca fez o que fez porque temeu que Isaque orasse e abençoasse um filho que não merecia. O medo durante uma decisão difícil, significa que esta decisão tem tudo para dar errado. O que aconteceria se Jacó, num momento de franqueza falasse a verdade no ato da oração da bênção da primogenitura? Para esta pergunta não tenho resposta, mas Rebeca chamou para si a responsabilidade da maldição caso o logro fosse descoberto.

Deus estava vendo tudo, e a conta foi paga por quem executou o logrou: Jacó.

Foi uma escolha muito difícil: levar o filho mais novo ao caminho do engano. Agir contra a decisão do esposo e causar prejuízo e revolta ao filho mais velho. Pela primeira vez o lar de Rebeca passava por um grande reboliço. Foi tal as conseqüências do roubo da primogenitura que um espírito de vingança e morte pairou sobre a sua casa. O lar de Rebeca agora estava à deriva,desconcertado.

Rebeca,sabia que Jacó seria maior que Esaú. Mas, imaginou que a sorte de Jacó estaria nas palavras de Isaque e não nas mãos do Abençoador. Como Deus estava no controle, sua misericórdia não permitiu que Esaú matasse o irmão. Se Rebeca julgou que o fim justificava os meios, estava errada. O pecado nunca servirá de atalho para uma bênção, e "Há caminho que ao homem parece direito, mas no fim dele há morte".

A escolha de Rebeca nos traz uma lição: diante de uma circunstância que envolva uma escolha difícil é preciso ter o coração em paz para decidir. É assim que está escrito em Colossenses 3:15: "Que a paz de Deus domine em vossos corações!" Naquela ocasião Rebeca estava com medo. Tinha medo da primogenitura ir para uma pessoa injusta.

Quando Rebeca deixou a casa dos pais para viajar em companhia de um estranho a fim de se casar com um noivo que nunca vira, decidiu com um coração equilibrado e em paz. Mas, quando os dias da bênção da primogenitura de Esaú chegaram, Rebeca andava atribulada e aflita. E errou.

Que Deus nos guarde de tomar decisões com um coração atribulado.

Uma injustiça não justifica o pecado e Deus não perde o controle da história.

É melhor não pular o muro da paciência para conquistar uma bênção.

Você pode passar por cima da vontade de Deus e quando se der conta, vai ver que abriu foi uma brecha para as ações do diabo.

Cuidado!



Portanto aprendamos com os acertos de Rebeca, mas também com seus erros:

- servir por amor a Deus.

- confiar em Deus apesar de tudo.

- Deus não precisa da nossa ajuda prá fazer a sua vontade, aliás, quando nós agimos, quase sempre as conseqüências são desastrosas...

Um comentário:

»-(¯`v´¯)-» Vanderléia Silva »-(¯`v´¯)-» disse...

Olá Tina, que benção de estudo, o anterior sobre foi uma benção e o de Rebeca também, que deus te abenço grandemente!!!
Bjos, da uma passadinha no blog, bjos!!!