terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Orar como Ana



Orar como Ana, crendo que Deus ouve e atende as nossas petições

Decidi estudar a vida das mulheres na bíblia que fizeram diferença na sua época e continuam a fazer a diferença nas nossas vidas.
Prá quem me conhece, é muito óbvio começar com a história da Ana. Sempre fui fã da história dela, do exemplo dela. O significado do nome de Ana é CHEIA DE GRAÇA.
Alguns textos e estudos sobre a Ana quero destacar hoje:

O primeiro achei no Blog Vale de ossos, com o título ORAR É SUBVERTER.

Texto extraído do Livro do pastor Caio Fábio "MULHERES SOLITÁRIAS ENFRENTANDO A REALIDADE". Em 1993 Caio Fábio foi convidado para falar sobre a mulher descasada. Sua palestra foi abrangente, bíblica e profunda. Por isso virou um booklet pela Ed Abba.

....Mas há algo a mais para falar sobre as mulheres em luta. Na Bíblia encontramos Raquel, ela ensina que vale a pena lutar pelo amor. Outro exemplo é Ana, esta também se oferece como exemplo dessa mulher em luta através da oração.
Elcana, marido de Ana, tinha outra esposa, Penina, que era fértil, e Ana era estéril. A rival a irritava, a humilhava, ela vivia numa agonia terrível e enfrenta a situação de duas maneiras: 1Sm 1:9-13 diz que a primeira coisa que ela faz é orar e ela ora muito.
Ela é desleal para com sua oponente. Sabe por quê?
Porque orar é pura deslealdade, é uma covardia.
Quem ora está subvertendo as coisas. Quem ora está fazendo ruir as estruturas. Quem ora está usando as armas mais secretas e invencíveis à disposição do ser humano. Ela ora e quando ela ora a força fica do lado dela, a balança pende para o lado dela. Quando ela ora as coisas mudam, e diz a Bíblia que ela chora, que ela se curva, que ela geme, que ela derrama o coração perante o SENHOR, que ela faz votos ao SENHOR, que ela se compromete com DEUS, que ela diz é tudo ou nada. Oh DEUS intervenha!
E DEUS intervém, lhe dá um filho.
A segunda coisa que Ana faz antes de estar grávida no ventre, é ficar grávida na mente. A promessa de DEUS. ELE disse à ela - Seu filho que está prometido, virá. E pela oração, e pela nova atitude de fé e confiança frente a vida, é que ela vence a luta desigual.


O segundo estudo sobre Ana está no site AS BEREANAS e transcrevo-o na íntegra:

A VIDA DE ANA, SEUS SOFRIMENTOS E ALEGRIAS

"...eu sou uma mulher atribulada de espírito" (1Samuel 1:15).
"... e o seu semblante já não era triste" (1Samuel 18).
O seu nome, assim como o seu modo de ser, nos apresenta uma mulher "graciosa" amável, mansa e generosa.
Apesar de possuir estas tão boas características, ela vivia triste.
A Bíblia nos diz que ela e Penina eram esposas de Elcana. Mas enquanto "Penina tinha filhos" ela "Ana não os tinha".
Num lugar mais profundo do seu coração, estava o imenso desejo de ser mãe. A sua alma ansiava por um filho mas a Bíblia diz que "o Senhor lhe tinha cerrado a madre" (1Samuel 1:5b).
O seu desejo não estava coincidindo com o desejo de Deus na sua vida naquele momento. O tempo de Deus era diferente do seu tempo, assim como foi o tempo de Sara, o de Rebeca e o de tantas outras mulheres que amavam ao Senhor mas tinham também suas madres cerradas.

No seu casamento com Elcana havia coisas desagradáveis que a faziam sofrer:
1- Elcana, seu marido, não era só dela mas havia uma outra esposa - Penina;
2- o Senhor havia cerrado a sua madre e, assim, ela não podia ter filhos;
3- a sua rival a provocava para a irritar (ela tinha filhos e Ana não).

Apesar da tristeza que carregava consigo, ela tinha um marido que a amava. Ele, muitas vezes, a via chorando. Mas, numa certa ocasião, quando ele e toda a sua família vieram a Siló para adorar e fazer sacrifícios ao Senhor, ele a viu chorando e perguntou-lhe: "Ana, por que choras? E por que não comes? E por que está mal o teu coração? Não te sou eu melhor do que dez filhos?" (1Samuel 1:8)

Elcana não conhecia o anseio que toda mulher tem de ter filhos. Ana o amava mas queria que o Senhor lhe concedesse o privilégio de ter um filho em suas mãos.

Assim como ela, coloquemos também diante do Senhor...
a) o sofrimento que abate o nosso semblante;
b) nossos momentos de solidão;
c) a amargura que guardamos em nosso coração;
d) a tristeza que invade a nossa alma;
e) a ansiedade que nos faz definhar... e depois...
Adoremos, adoremos e adoremos o Senhor que nunca nos abandona e está sempre cuidando de cada detalhe da nossa vida.

Depois que Ana ouviu o seu marido, Elcana, perguntar-lhe se ele não era "melhor do que dez filhos", ela levantou-se e foi para o templo orar e derramar a sua alma no trono do Senhor. Sim, ela foi adorar a Deus e orar pelos problemas que a estavam deixando triste.
Ana orava e chorava com "amargura de alma". Ela não estava só porque procurou refúgio no Senhor. Deus estava com ela e ouviu quando ela Lhe pediu um filho. Este pedido, no entanto, veio acompanhado de um voto. Ela disse:
"Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres mas à tua serva deres um filho homem, ao Senhor o darei todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha" (1Samuel 1:11).

Este voto que Ana fez ao Senhor, não foi fácil. Mas ela, certamente, o fez porque o Senhor estava trabalhando em seu coração e incutindo nele o desejo de ter algo mais precioso do que apenas ter um filho - mas ter um filho para dá-lo ao Senhor.

Deus ouviu a oração de Ana. Ele veio até ela para satisfazer as suas necessidades, dar consolo e conforto à sua alma. Somente Ele seria capaz de consolar o seu coração, dar alívio, apoio e encorajamento.

"Senhor, meu Deus, obrigada porque Tu conheces o meu coração e cuidas dele.
Obrigada, Pai, por responderes as minhas orações e súplicas.
Perdoa-me pelas tantas vezes que abri a minha alma a muitas pessoas e não me lembrei de abri-la primeiramente a Ti.
Perdoa-me por, muitas vezes, não Te ter colocado em primeiro lugar em minha vida.
Senhor, que eu possa confiar em Ti, sabendo que Tu podes mandar anjos - que são nossos irmãos em Cristo - para nos consolar, aconselhar e nos dar o conforto que vêm única e exclusivamente de Ti.
Obrigada, Pai!"

Deus também a Sua Palavra para nos consolar e confortar. Ele nos diz:
"Isto é a minha consolação na minha aflição, porque a Tua Palavra me vivificou" (Salmo 119:50).

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28).

Enquanto Ana chorava e orava silenciosamente, apenas movendo os seus lábios, o sacerdote do templo, Eli, a viu e pensou que ela estivesse embriagada. Ele a repreendeu mas ela, amorosamente, respondeu:
"... Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte tenho bebido; porém tenho derramado a minha alma perante o Senhor" (1Samuel 1:15).

Veja como Ana reagiu. Ela falou com voz mansa, com respeito e dizendo exatamente o que ela estava sentindo.
Será que eu ou você usaríamos o mesmo tom de voz (talvez nos revoltássemos e aumentássemos um pouquinho a nossa voz)?
Será que eu ou você teríamos o mesmo respeito e reverência?

Vemos na Palavra de Deus que o sacerdote, diante do modo respeitoso e sincero de Ana, impetrou a bênção sacerdotal dizendo:
"... Vai em paz; e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste" (1Samuel 1:17).

A partir daí, o quadro da vida de Ana mudou mesmo tendo que...
* dividir o seu marido com a outra;
* ouvir as ofensas da outra;
* encarar o fato de que ainda era estéril;
* lembrar que foi mal compreendida pelo sacerdote.

Ela saiu do templo feliz e com certeza no coração de que a sua vida, a partir daquele momento, iria mudar.
A Bíblia nos diz que ela "... foi o seu caminho, e comeu, e o seu semblante já não era triste" (1Samuel 1:18).
Ana, creu, pois o semblante já não era o mesmo.
Pela fé, ela acalmou a sua alma e repousou no Senhor, esperando apenas o dia em que iria ter em seus braços o filhinho que ela tanto desejava mas que iria ofertar ao Senhor.

Este é o exemplo a ser seguido por nós. Quando oramos ao Senhor e, com fé, depositamos todos os nossos problemas a Seus pés, então devemos mudar o nosso semblante e deixar o mundo ver em nós um brilho que vem de um coração transformado por confiar em Deus. Isto é fé.
O Senhor, na Sua Palavra, nos diz em Filipenses 4:4: "Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos."

Por que ficar triste? Por que não confiar? Regozijemo-nos e confiemos que o Senhor é quem controla a nossa vida e é Ele quem deseja o melhor para nós!
A fé depositada por Ana no Senhor, finalmente foi concretizada. Ela teve um filho! Samuel nasceu e ficou com ela apenas dois ou três anos.
Ela amamentou seu filhinho e o preparou para entregá-lo a Deus.
Ela foi fiel no que havia prometido ao Senhor. Ela ensinou os primeiro passos a Samuel mostrando que havia um Deus que ela amava de todo o seu coração. Com ela ele...
1- aprendeu os caminhos de Deus, certamente, vendo o exemplo dela e sua devoção a Aquele que o trouxe ao mundo (Deus);
2- aprendeu os caminhos de Deus ao ouvi-la falar do Senhor, contando-lhe como ela conseguira engravidar;
3- aprendeu os caminhos de Deus vendo-a corrigindo-o e instruindo-o na Palavra de Deus.

Sigamos estes passos de Ana quando estamos educando os nossos filhos. Não deixemos que eles decidam que caminhos irão seguir quando já estiverem adultos. Ensinemos HOJE e AGORA os caminhos do Senhor usando a Bíblia como nossa bússola.
Entreguemos cada filho nas mãos do Senhor.
Oremos pedindo proteção espiritual para cada um deles e confiemos no amor de Deus que será derramado em suas vidas.
Agora, confiantemente, coloquemos o Senhor no centro de nossa vida e, com fé, façamos como Ana que "foi o seu caminho, e comeu, e o seu semblante já não era triste" (1Samuel 1:18).



Também destaco a História da Ana, cantada pela Ariely Bonatti:

Com amargura de alma Ana entrou no Templo
Com o Rosto no Pó começou a clamar
As lagrimas do rosto expressavam o sentimento
Que havia em seu coração

Ana queria muito ter um filho pois Penina a humilhava
Aumentando o seu sofrimento
Clamando ao Senhor, dizendo assim:
Deus tenha compaixão de mim, venha me tirar desse
tormento

Ana chorou e o seu clamor chegou ao céu
Deus não rejeita a oração, quando o crente é fiel
Ana chorou e o seu clamor não foi em vão
Deus ouviu sua oração, lhe concedeu a Samuel

A mulher que era estéril, agora é mãe de Profeta
A esposa desprezada agora é predileta
A mulher que chorava agora sua alegria é completa

A mulher que era triste agora é só alegria
Deus ouviu sua oração e alegrou o seu ser
Quando Deus exalta é pra todo mundo ver

Quem chora pra Deus, jamais é esquecido
Quem clama por ele é sempre atendido
Quem chora pra Deus, tem resposta na hora
Deus ouve do céu e decreta a vitória...

... Na hora
... Agora
A Resposta de Deus é na hora



Se você é provocada pela malícia de alguma Penina... pode ser algum colega que não te entende, alguém na família que não te aceita, mentiras, maus testemunhos...
Ana se recusou a responder da mesma forma. Em vez disso, derramou sua mágoa e tristeza diante de Deus.
Talvez como Ana, você esteja esperando um filho.
“Um filho” pode ser aquilo que você esteja gerando em oração, algo que você tenha que esperar e esse período para você é uma gestação.
Esse processo de espera é muito difícil, é como um parto.
Você ora, jejua, chama a existência, mas o tempo passa e nada acontece e a tendência com tudo isso é você se sentir estéril.
Além de buscar e chorar no lugar certo, Ana tinha propósitos. No versículo 11 vemos que Ana faz um voto com Deus.
Só faz voto com Deus aquele que tem propósitos e sabe o que quer.
Deus não se agrada de voto de tolo, por isso se você fez um voto com Deus, cumpra.
Muitas pessoas estão paralisadas porque fizeram um voto com Deus e não cumpriram.
Ana cumpriu o voto com Deus, ela engravidou e entregou Samuel a Deus, ela cumpriu a parte dela na aliança.


E por último, mas não com menos valor ou importância, mas por não poder colocar tudo num blog, destaco o Livro: Não desista dos seus sonhos, do Pastor Hernandes Dias Lopes, que estuda a história da Ana e de seus sonhos.

Não desista dos seus sonhos. Se você tem sonhos, ore, creia! Ana pediu, creu, confiou e Deus atendeu!

2 comentários:

Cris Duarte disse...

Amada muito bom este estudo, amei.Parabéns pela sábia escolha, as vezes me sinto como Ana.

Cris Duarte disse...

Oi em tempo, em meu blog tem um post sobre as mulheres da Biblia, se gostar pode aproveitar para postar aqui em continuidade a seu estudo.beijinhos.